Acusado de Matar duas pessoas e balear outras quatro durante festa no antigo Clube da Cosern, vai a julgamento nesta quarta feira

douglas

Douglas Rafael da Silva, de 19 anos, acusado de tentar promover uma chacina durante uma festa no antigo clube da Cosern, às margens da BR 304 no Conjunto Abolição III em Mossoró RN, no ano de 2018 senta no banco dos réus, nesta quarta feira 10 de julho de 2019. O jovem será julgado pelo Tribunal do Juri Popular de Mossoró em sessão que começa as 08h30min no Forum Desembargador Silveira Martins.

Consta na denuncia do Ministério Público Estadual, baseada no inquérito policial conduzido pela DHPP, que na madrugada do dia 5 de fevereiro de 2018, por volta das 02h00min, Douglas Rafael da Silva, juntamente com comparsas, que até o momento não foram identificados, chegaram em frente ao clube e abriram fogo contra as pessoas que participavam da festa.

No tiroteio duas pessoas foram mortas, sendo que uma mulher morreu no local e um homem morreu após ser socorrido para o Hospital Tarcísio Maia e outras quatro ficaram feridas pelos disparos e todas foram atendidas no HRTM. De acordo com o MPRN, Douglas usando um rifle calibre 44, teve participação direta no ataque criminoso.

Para o Ministério Público a chacina só não foi consumada porque houve intervenção de seguranças da festa que reagiram atirando nos criminosos, inclusive no revide conseguiram balear  o denunciado, Douglas Rafael, que ao ser baleado foi levado pelos comparsas e deixado no hospital Tarcísio Maia sendo ele preso em seguida.

As seis vítimas do ataque criminoso:codsern

Ellane Aline Jácome Xavier, de 20 anos, morava no Bairro Santo, Antônio morreu no local e segundo relatos de testemunhas, a mesma saía da festa em companhia de uma amiga para retornar pra casa, quando foi baleada. Moisés Wilkson da Silva Lopes, de 25 anos, ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu horas depois no Hospital Tarcísio Maia. Ewerson de Castro da Silva, Jorgivan Kleber de Oliveira, Maria José de Oliveira e Maria Sandrinilda de Souza Lima sobreviveram ao atentado.

O réu que encontra-se preso e vai comparecer ao julgamento, será defendido pelo advogado Guilherme Marinho de Araújo Mendes. Na acusação, representando o MPRN atuará o promotor de justiça, Ítalo Moreira Martins. Os trabalhos serão presididos pelo juiz Vagnos kelly Figueiredo de Medeiros, presidente do TJP. A decisão de condenação ou absolvição, ficará a cargo do corpo de jurados composto por sete pessoas da sociedade mossoroense.

10/07/2019

Postado às 06:38

Nenhum comentário

Comentar