Investigação de Crime de latrocínio sai da DEFUR e vai para Delegacia de Homicídios

capa
Delegado da DEFUR DR. Rafael Arraes

O crime de latrocínio (roubo seguido de morte), cuja investigação era de responsabilidade da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (DEFUR) sai da esfera dessa especializada e passa para a Delegacia de Homicídios de Mossoró (DHM). Portaria nesse sentido foi assinada recentemente pela Delegada Geral da Polícia Civil, Dra. Ana Claudia.

A medida adotada pela DEGEPOL se deu através de pedido formulado pelo delegado da DEFUR de Mossoró, Dr. Rafael Arraes. Em entrevista concedida ao Blog Fim da Linha, o bacharel explicou que em Natal o crime de latrocínio sempre foi investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e não faz sentido a Delegacia de Furtos e Roubos investigar esse tipo de crime.

"Ao investigar um latrocínio toda equipe, considerada reduzida, fica envolvida na elucidação do caso, o que de certa forma atrapalhava o trabalho investigativo dos crimes de furtos e roubos que acontecem com frequência na cidade".

A partir de agora os agentes ficam com mais tempo para investigar os roubos. Disse o delegado. Dos quatro latrocínios ocorridos este ano em Mossoró, apenas um ainda não foi esclarecido. Trata do assassinato do vigilante Manoel Avelino de 51, baleado em janeiro durante um assalto nas Barrocas e morreu no dia primeiro de maio no Hospital São Luiz.

13/07/2020

Postado às 08:38