Professor de academia morre vítima de acidente de trânsito na BR 304 em Mossoró no RN

capa
Fabrício estava no banco de passageiros

O professor de academia, identificado como Fabrício Allison de Queiroz de 33 anos de idade, natural de Mossoró RaN e morador do Conjunto Abolição III, morreu vítima de um acidente de trânsito na noite deste sábado 04 de setembro de 2021, na BR 304 no viaduto do Santa Delmira em Mossoró no Oeste Potiguar.

O acidente do tipo colisão envolvendo um veículo Volkswagen Jetta e dois cavalos, ocorreu por volta das 23h30min em frente a CHESF. O veículo era ocupado pelo motorista ainda não identificado e pelo professor de academia Fabrício que viajava como passageiro. De acordo com a PRF, os dois retornavam da cidade praia de Tibau e ao se aproximarem do viaduto, se envolveram no sinistro.

O carro colidiu com dois cavalos que estavam na pista de rolamento e o impacto da batida foi tão violento, que os dois animais se partiram em pedaços que ficaram espalhados no asfalto. O veículo ficou literalmente destruído e só parou em cima do viaduto. o condutor do carro, ficou ferido e foi socorrido por populares que passavam no local, para o Hospital Tarcísio Maia. Já o professor, morreu na hora dentro do carro.

Os pais do professor de academia, que moram no Conjunto Abolição III, estiveram no local e reconheceram o corpo do filho. Eles relataram para a Polícia Rodoviária Federal, que o filho tinha ido com o colega para Tibau passar o fim de semana e só retornaria na terça feira feriado da independência. Não se sabe o porque, que os dois amigos resolveram antecipar a volta e acabaram se envolvendo no grave acidente.

A equipe do ITEP realizou os procedimentos de perícia no local e depois recolheu o corpo de Fabrício para ser examinado no Instituto Médico Legal do órgão. Após a necropsia o corpo será liberado para os familiares.

capa

capa

05/09/2021

Postado às 03:12

1 comentário - Comentar

Comentários

FERNANDES
Verdade é, que muitos acidentes tem acontecido como este, a família fica com a dor da perda do ente querido.

Poderia ser evitado se a rodoviária federal se preocupasse mais em fiscalizar as pista junto com o DNiT e só depois tivesse multar, mas ao contrário estão mais preocupado em multar do que fazer a retirada dos animais da pista.

Próximo ao posto rodoviário federal, estou cansado de ver lotes de momentos, e o carro da rodoviária federal, indo e voltando sem amenos parar para tanger o animal da pista de rolamento.

É uma verdade que todos sabem, mas imprensa nunca fez uma reportagem nesse sentido.

Deixe meus pêsames as famílias que tiveram sua perdas, e aconselho a procurar um advogado da área e pedir indenização a União, direito líquido e certo.

Comentar